7. Livro recomendado…

Queridos leitores,

Voltei para continuar o desafio do álbum de fotos literário. Hoje é sobre um livro que tenha sido recomendado. Por isso estou aproveitando a oportunidade para trazer meus comentários sobre uma obra que eu apontei aqui como meta de leitura, a qual me foi emprestada com muito carinho por uma prima amada.

Depois de ler Ligeiramente casados, aventurei-me pelas páginas de Ligeiramente maliciosos (veja a sinopse) de May Balogh.

Sinopse: Após sofrer um acidente com a diligência em que viajava, Judith Law fica presa à beira da estrada no que parece ser o pior dia de sua vida. No entanto, sua sorte muda quando é resgatada por Ralf Bedard, um atraente cavaleiro de sorriso zombeteiro que se prontifica a levá-la até a estalagem mais próxima.
Filha de um rigoroso pastor, Judith vê no convite do Sr. Bedard a chance de experimentar uma aventura e se apresenta como Claire Campbell, uma atriz independente e confiante, a caminho de York para interpretar um novo papel. A atração entre o casal é instantânea e, num jogo de sedução e mentiras, a jovem dama se entrega a uma tórrida e inesquecível noite de amor.
Judith só não desconfia de que não é a única a usar uma identidade falsa. Ralf Bedard é ninguém menos do que lorde Rannulf Bedwyn, irmão do duque de Bewcastle, que partia para Grandmaison Park a fim de cortejar sua futura noiva: a Srta. Julianne Effingham, prima de Judith.
Quando os dois se reencontram e as máscaras caem, eles precisam tomar uma decisão: seguir com seus papéis de acordo com o que todos consideram socialmente aceitável ou se entregar a uma paixão avassaladora?
Neste segundo livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh nos conquista com mais um capítulo dessa família que, em meio ao deslumbramento da alta sociedade, busca sempre o amor verdadeiro.

Difícil dizer de qual das duas histórias eu gostei mais, viu?! Então, melhor mesmo nem tentar escolher uma preferida, pois cada uma tem seus encantos na medida certa. Até no nome empataram. Assim como falei sobre a primeira, achei abominável o título dado à história de amor entre Judith Law e Rannulf Bedwyn. Não acho que malícia é o termo apropriado para se referir ao que aconteceu entre os dois. Ou será que a malícia contida aí não seja deles? Afinal, havia muitos pensamentos com segundas intenções ( e não falo somente de sexo ) nas cabecinhas de algumas personagens, como, por exemplo, Julianne Effinghan, prima de Judith, e seu meio irmão Horace Effinghan.

Jude e Ralf apenas se apaixonaram à primeira vista, quando ele a socorreu após ela ter sofrido um acidente com a diligência em que viajava, e resolveram já de cara terem noites quentes e deliciosas de sexo. Tudo bem que para aquela época não era um comportamento adequado para uma donzela, mas… Tudo aconteceu assim porque Judith havia se apresentado como Claire Campbell. atriz de teatro, sonho que guardava consigo, em segredo, desde criança por ser uma profissão mal vista para mulheres, e Rannulf, que também não revelou sua identidade por completo, deixou aflorar o desejo que sentiu por ela e a coisa toda acabou acontecendo, de certa forma, fora de hora. Judith, consciente do que havia feito, resolve seguir seu destino que prometia não ser dos mais felizes, deixando Ralf para trás. Sem saber que seus caminhos se encontrariam novamente em circunstâncias não muito favoráveis, os dois foram adiante com suas vidas, resignados a cumprirem o que a eles foi pedido por suas famílias. Daí em diante nem preciso contar, não é mesmo? Só digo uma coisa: o amor é lindo! ❤ rsrsrsrs

Desafio nº 7 cumprido!

Livro(s) recomendado(s):

Abraços!

Assinatura blog.fw

Anúncios

Desafio literário: dois livros por mês – Março

Saudações a todos, meus amados leitores!

Março, enfim, está terminando. Acho esse mês looongo e sempre muito chuvoso, coisa que não curto muito, apesar de ser aconchegante para ficarmos em companhia de bons filmes e leituras agradáveis. E foi justamente isso que fiz bastante: eu li. Consegui até superar a minha meta do desafio literário nº 1. Foram cinco livros, dos quais somente um deles eu ainda não havia comentado aqui, justamente o primeiro da lista.

Sem mais delongas, são eles:

UM_PERFEITO_CAVALHEIRO_1389127697B1. Um perfeito cavalheiro, de Júlia Quinn.

Comparado aos dois primeiros livros da série Os Bridgertons, Um perfeito cavaleiro não encheu muito meus olhos nem aguçou minhas fantasias. Apesar do seu início a la Cinderela, o que deu um charme especial para a introdução da história, eu não curti Benedict. Sua trajetória na narrativa contradiz  o título, pois ele não é tão cavalheiro e, portanto, tão pouco é perfeito em suas atitudes para com a jovem Sophie, uma moça de vida triste, que por sua delicadeza merecia ser amada plenamente, e não se tornar uma amante de alguém, como Benedict tantas vezes insistiu para que ela fosse dele. Na época, como não era permitido que serviçais se casassem com nobres, cabia a Benedict abrir mão desse relacionamento e deixar que Sophie seguisse a vida dela, justamente porque ele dizia amá-la. Depois tudo se acertaria no coração deles tranquilamente… Leia a sinopse. –>

LIGEIRAMENTE_CASADOS_1409953442B

2. Ligeiramente casados, de Mary Balogh.

…Confesso que adoro histórias de amor, principalmente essas cujo contexto situa-se bem no passado, quando havia essa coisa de cortejar a dama, do romantismo, do respeito, do sentimento de amor sendo descoberto aos pouquinhos. Ligeiramente casados (título feio para uma narrativa tão graciosa) é um livro que me proporcionou esse prazer… Leia na íntegra. –>

QUEM__VOCEN_ALASCA_1447003880141267SK1447003880B

3. Quem é você, Alasca?, de John Green.

… essa semana que passou resolvi ler Quem é você, Alasca?, do mesmo autor, como uma espécie de preparação para a leitura do primeiro. Além de ter sido lançado antes, Quem é você, Alasca? deu-me uma noção do estilo de John Green para que eu não criasse essa ideia por meio de um livro de tão grande sucesso quanto foi A culpa é das estrelas e me decepcionasse depois com outras obras do autor, caso essa me arrebatasse como fez com tantos leitores por esse mundão afora… Leia na íntegra. –>

O_LADO_FEIO_DO_AMOR__1436538322515134SK1436538322B

4. O lado feio do amor, de Colleen Hoover.

…Quando eu escolhi O lado feio do amor como um dos meus desejados da semana – 07 de março -, lembro que a capa do livro foi uma das coisas que mais me chamou a atenção junto ao título. Nem imaginei que relação haveria com a história, assim como durante boa parte da leitura também não. Só sabia que um homem se recusava terminantemente a viver o amor em sua vida de novo. Assim fui lendo O lado feio do amor sem dar pausa porque eu fiquei ansiosa para saber por qual motivo alguém se recusaria amar e ser amado estando esse sentimento bem à sua porta, batendo incessantemente… Leia na íntegra. –>

DEPOIS_DE_VOCE_1450191275541816SK1450191275B

5. Depois de você, de Jojo Moyes.

…Comecei o livro no dia em que estava completando quatorze anos que meu pai partiu. Por isto, durante a leitura que abordou a questão da morte, do luto e da superação, fiquei me lembrando dos meus sentimentos naquela época triste da minha vida e me solidarizei com todas as personagens da história que vivenciavam alguma perda. Até mesmo com Lily que aparece na porta da casa de Lou falando que é filha de Will… Leia na íntegra –>

E eis os cinco contemplados de Março. Iniciei a leitura de Ligeiramente maliciosos, de Mary Balogh, antes de findar o mês, mas ainda não passei do capítulo 5, então ele fica para a meta de Abril. 🙂

Um forte abraço e tudo de bom!

Assinatura blog.fw