O que li em janeiro de 2018?

Janeiro, mês de férias e nada daquele papo de acordar às cinco da manhã para trabalhar, ou seja, sem hora para dormir e bastante tempo para leituras descontraídas. Como, normalmente, eu não costumo planejar o que vou ler, minhas escolhas neste início de ano também foram aleatórias, li o que me deu vontade.  Algumas escolhas que fiz me agradaram bastante, outras, nem tanto, mas valeram pelas horas de relax, distração e divertimento.

start.fw Primeiramente, virei o ano lendo um e-book achado lá no meio dos disponíveis do Kindle Unlimited, que foi uma leitura que valeu a pena, mas com ressalvas. Estou falando de Proteja-me, de Mila Wander e Josy Stoque, que trouxe uma boa história sobre relacionamentos abusivos dentro de casa, como violência sexual e cárcere privado de filhos, pecando, no entanto, no tamanho da narrativa, a qual achei longa (principalmente nos detalhes eróticos) e, por vezes, cansativa. Ganhou  ❤ ❤ ❤ .

Proteja-Me

Sinopse: Celina buscava um casamento estável com um dominador e tem orgulho de ter esperado o homem certo aparecer. Pouco importa que só aconteceu aos seus 40 anos, que Ramon seja viúvo e tenha dois filhos do primeiro casamento. Ela ainda é bonita, cuida do corpo e da pele, tudo para laçar de vez um marido rico, charmoso, gostoso e que cuide dela. Ainda na lua de mel, Celina descobre que o relacionamento com um político influente pode destruir o romantismo que sempre sonhou vivenciar. Para piorar a situação, seus enteados Drian e Lya não aceitam que ela tome o lugar da falecida mãe, criando um clima desconfortável em seu novo lar logo no primeiro dia. Se sentindo sozinha e uma estranha na mansão dos Moura Lenox, a submissa se entrega de corpo e alma na função de esposa perfeita. Porém, a ausência constante do poderoso marido a aproxima de Drian, o primogênito sério e disposto a seguir os passos do pai na carreira pública. Ambos só querem agradar Ramon, mas a companhia um do outro se mostra cada dia mais indispensável, o que pode significar tanto a felicidade, quanto a completa ruína da família.

heart.fw Depois, tive o prazer de iniciar a leitura de Todos de pé para Perry Cook, de Leslie Connor – Editora Harper Collins – sentada de frente para um marzão lindo de viver! Pena que o tempo estava nublado nesse dia. Sobre este livro, faço questão de dedicar a ele um post individual depois. Adianto somente que é um livro que vale a pena ler. 😉

Para ele eu dei ❤ ❤ ❤ ❤ ❤ .

Sinopse: Perry Cook, aos 11 anos, só conheceu uma casa: o Instituto Penal Misto Blue River. Mas apesar de ter nascido e sido criado em uma penitenciária, ele não deseja viver em nenhum outro lugar; lá ele tem a mãe, a benevolente diretora e um grupo de prisioneiros divertidos e bondosos que lhe ensinam lições valiosas todos os dias. Quando, porém, o novo promotor descobre a permanência irregular de Perry em Blue River, ele resolve libertar o menino, mesmo contra a vontade dele. Em sua jornada para se reunir com a mãe, Perry vai mergulhar não só em uma investigação sobre o crime que a levou à prisão mas também em uma jornada emocionante e divertida, perfeita para fãs de Extraordinário e O menino do pijama listrado.

start.fw Então, chegou a vez de Ligeiramente seduzidos, de Mary Balogh (Livro #4 da série Os Bedwins) – Editora Arqueiro. Hum… Quando li Ligeiramente casados, achei a história tão linda! Aí, claro que a gente quer se enveredar pelas outras narrativas da série, mas, à medida que foi passando, a sensação que tive é de que estava lendo a mesma história porém com outras personagens, porque os enredos são praticamente os mesmos. Ainda assim é gostoso ler livros de época, e eu curti de boa a trajetória de Morgan Bedwyn junto ao conde de Hosthorn até, adivinhem onde? O altar. 😀

Ganhou ❤ ❤ ❤ .

Ligeiramente Seduzidos

Sinopse: Jovem, estonteante e nascida em berço de ouro. É apenas isso que Gervase Ashford, o conde de Rosthorn, enxerga em Morgan Bedwyn quando a conhece, num dos bailes da alta sociedade inglesa em Bruxelas. Em circunstâncias normais, ele não olharia para ela duas vezes – prefere mulheres mais velhas e experientes. Porém, ao saber que Morgan é irmã de Wulfric Bedwyn, a quem Gervase culpa pelos nove anos que passou longe da Inglaterra, decide que ela é o instrumento perfeito para satisfazer seu desejo de vingança. Mas Morgan, apesar de jovem e inocente, também é independente e voluntariosa e, assim que entende as intenções do conde, se prepara para virar o jogo e deixar claro que não se deixará manipular por ninguém. 
Em Ligeiramente Seduzidos, quarto livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh nos brinda com mais uma história fascinante. Em uma trama repleta de traição e vingança, escândalo e sedução, ela mostra que o caminho para o amor pode ser difícil, mas que a recompensa faz cada passo valer a pena.

diamond.fw E foi com muito carinho que iniciei a leitura de A pequena livraria dos corações solitários, de Annie Darling – Editora Verus.

Para começo de conversa, comprei este livro principalmente por causa da linda capa. O título também foi bastante sugestivo. Além disso, há a questão de toda a história se passar na Livraria Bookends, cuja dona morre ainda no início da narrativa, deixando nas mãos de Posy Morland não apenas o estabelecimento, mas também a casa no andar de cima onde a jovem mora com seu irmão adolescente Sam. Ela tem dois anos para reerguer a loja, que anda com as vendas em baixa, para se manter como proprietária do imóvel. Então surge a ideia de transformar a livraria em um lugar para clientes que curtem livros de romance, assim como ela, que tem verdadeira paixão por esse tipo de leitura, e todos começam a colocar a mão na massa para essa mudança. Há em seu caminho, no entanto, o insistente Sebastian, neto de Lavínia (falecida dona da livraria) que quer de toda forma trabalhar com Posy, porém com foco oposto. Ele tem a ideia fixa de especializar a Bookends em uma loja que vende ficção policial. E em torno dos constantes problemas entre os dois é que rola a trama.

O que mais gostei na história foram os planos de Posy para sua reformulada livraria. Sonhei junto com ela todo tempo, pois adoraria montar um negócio parecido com esse, se tivesse condições. Ah! Quem sabe um dia, né? 🙂

Ela ganhou ❤ ❤ ❤ ❤ .

A Pequena Livraria dos Corações Solitários

Sinopse: Era uma vez uma pequena livraria em Londres, onde Posy Morland passou a vida perdida entre as páginas de seus romances favoritos. Assim, quando Lavinia, a excêntrica dona da Bookends, morre e deixa a loja para Posy, ela se vê obrigada a colocar os livros de lado e encarar o mundo real. Porque Posy não herdou apenas um negócio quase falido, mas também a atenção indesejada do neto de Lavinia, Sebastian, conhecido como o homem mais grosseiro de Londres. Posy tem um plano astucioso e seis meses para transformar a Bookends na livraria dos seus sonhos — isso se Sebastian deixá-la em paz para trabalhar. Enquanto Posy e os amigos lutam para salvar sua amada livraria, ela se envolve em uma batalha com Sebastian, com quem começou a ter fantasias um tanto ardentes. Resta saber se, como as heroínas de seus romances favoritos, Posy vai conseguir o seu “felizes para sempre”.

Observção: já, já sai do forno o livro #2 dele. Dá uma olhada…

IMG_20180129_161549_652

start.fw Em seguida, resolvi ler Uma noite com Audrey Hepburn, de Lucy Holliday – Editora Harper Collins – que estava na minha lista há um tempão, mas só agora consegui o e-book.

Confesso que o que mais me chamou a atenção para esse livro foi a presença de Audrey Hepburn na história. Queria saber como se dava isso. Pura curiosidade. Não foi de todo ruim, nem vou dizer que foi tempo perdido, porque até que eu dei umas boas risadas em algumas partes, mas… mas… hum… faltou muito aquele toque especial na narrativa, mesmo sendo um romance simples. Além disso, o fim dela não é bem um fim propriamente dito. A história parou de repente, e foi aí que me dei conta de que são três volumes e que só no terceiro é que tudo tem o seu desfecho de fato. Aí eu fiquei com cara de “como assim?!”. kkk E eu não estou muito animada a ler os outros dois, não. 😦

Dei só ❤ ❤ ❤ .

Uma Noite Com Audrey Hepburn

Sinopse: A atriz Libby Lomax encontrou seu refúgio no mundo dos filmes clássicos, nos quais as deusas imortais favoritas da tela parecem oferecer muito mais romance do que a vida real. Depois de um dia terrível no set de filmagens, onde ela passou a maior vergonha de todos os tempos na frente do elenco inteiro e, pior, do astro sexy e notório bad boy Dillon OHara, tudo o que Libby consegue fazer é se jogar no sofá e assistir a Bonequinha de luxo pela milionésima vez. De repente, ela se surpreende ao ver a estrela do cinema, Audrey Hepburn, sentada bem ao seu lado, em seu vestidinho preto, clássicos óculos escuros e cigarrilha vintage, cheia de conselhos para dar. Mas será que Libby realmente é capaz de transformar sua vida de fracasso em um incrível blockbuster? Talvez, com um pouquinho da ajuda mágica de Audrey, ela até consiga.

Só para que conheçam, os outros dois são:

UMA_NOITE_COM_MARILYN_MONROE_1463426523582586SK1463426523B  UMA_NOITE_COM_GRACE_KELLY_1484936825646372SK1484936825B

Bom, e para terminar, FINALMENTE comecei a ler A culpa é das estrelas! Tive meus motivos para adiar este encontro, e até hoje não vi o filme para não comprometer a leitura. Acredito que antes de encerrarmos janeiro o terei lido todo. De qualquer forma, ele já entra na lista do próximo mês para os comentários.

Ufa! Acabou! kkkkk

Até a próxima!Assinatura18.fw

Anúncios

Retrospectiva – Meus livros em 2017

Meus livros

2017 foi um ano de muitas leituras para mim. Graças ao Kindle Unlimited, assinatura de empréstimos de e-books pela Amazon, pude aventurar-me um pouco mais por esse mundo dedicadamente. Li de tudo! Emocionei-me, chorei, ri, sonhei, irritei-me, perdi a paciência… rsrsrs e fui feliz, porque ler é uma das coisas que mais gosto de fazer, sem dúvida alguma.

Então, resolvi fazer a minha retrospectiva de obras lidas ano passado, com a ajuda do Skoob, é claro, porque eu não conseguiria listar tudo de cabeça não. Foi assim:

Janeiro –

  1. Fangirl
  2. Com amor, Antony
  3. Não conte a ninguém
  4. Teoria do amor
  5. À procura de Audrey

Fevereiro –

 Março –

  1. Popular
  2. O sorriso das mulheres
  3. Sorrisos quebrados

Abril –

  1. Nada mais a perder

Maio –

Junho –

Julho –

Agosto –

Setembro –

UM_BEIJO_INESQUECIVEL_1449881151417043SK1449881151B
Livro impresso

Outubro –

Novembro –

 

Dezembro –

Sobre alguns desses livros eu já dei a minha humilde opinião aqui no blog. Deixei o link após cada grupo de capas caso queiram dar uma olhada. Em breve, postarei comentários e opiniões sobre os demais. É só me acompanhar.

As viagens “leiturísticas” de 2018 já estão a pleno vapor. O ano promete! 😀

Um abração!

Assinatura18.fw

Sorrisos quebrados, de Sofia Silva

Caros leitores…

Uma das gratas surpresas do ano foi ler “Sorrisos quebrados”, de Sofia Silvia. Encontrei esta história entre tantos títulos sugeridos pelo Kindle Unlimited e mergulhei nela, curiosa para saber o que sairia dali.

Sorrisos Quebrados (e-Book)

Sinopse: 

Paola
Perante Deus, o meu marido prometeu me amar.
Cuidar de mim. Ser meu amigo. 
Perante todos, disse que me amava. Que íamos ser felizes. 
Viver para sempre juntos. 
Mentiu em tudo. 
Até que um dia, perante mim, ele disse que ia me matar. E não mentiu.
A partir desse dia vivi escondida no meu mundo, até o André aparecer.

André
Não procurava nada. Não queria ninguém.
Não depois de tudo que vivi.
O meu coração estava escondido na escuridão, até a Paola surgir com as suas cores, pintando a minha vida.

Sorrisos Quebrados é um romance colorido entre duas pessoas Quebradas por relacionamentos passados. Uma história de superação dos próprios medos e promessas.

Gente, simplesmente liiindoooo! Chorei, sorri, tive nós na garganta, frios na barriga… Nossa! Foi intenso do início ao fim, do jeitinho que eu gosto. Que bom, né?! Porque eu o li em um mês em que tive mais decepções do que alegrias literárias. Então, ele veio para me animar a seguir em frente. rsrsrs

Eu gosto de histórias como essa, que me fisgam desde o começo e me levam ali presas no anzol até que me soltam novamente, dando-me a liberdade após uma deliciosa leitura. Mas, o que há de tão interessante assim em Sorrisos quebrados para me causar isso? Olha, não foi tanto pelo enredo em si, cujo tema é a superação de traumas vividos pelas personagens. Foi pela forma poética com que a autora falou de dramas tão corriqueiros e igualmente terríveis. Um contraste que deu super certo: a dor e a cor… a escuridão e a luz… o medo e o amor… a desilusão e a esperança… Foi exatamente isso que a história de Paola e André me passou, tudo de forma tão delicada e ao mesmo tempo forte. Só para contextualizar melhor, eles se conhecem em uma clínica de reabilitação, onde Paola se recupera da violência verbal e física sofrida pelo ex-marido, e André acompanha a sua filha Sol, de seis anos, que apresenta uma fobia social intensa devido ao que passou com a mãe drogada, quando era ainda pequenininha. Ele também sofre suas angústias, consequência de seu relacionamento com a ex, e o encontro entre os três é a luz que faltava para a vida de cada um. Surge uma grande amizade entre a garotinha Sol e Paola e, claro, um grande amor entre ela e André, e é inspiradora a forma como se dá esse encontro. Paola usa das cores das tintas para recuperar esses três corações, e o resultado disso tudo são belas obras de arte que nos fazem acreditar que a tal luz no fim do túnel existe sim, e que ela pode ter vários tons. Uma lição para toda a vida!Amei de montão.fwEspero, sinceramente, que quem a leia curta a história como  eu curti.

Um forte abraço!

Assinatura blog.fw

Com amor, Anthony, de Lisa Genova

Oi, oi, caros leitores!

Hoje aqui estou para falar do livro “Com amor, Anthony”, de Lisa Genova (Nova Fronteira), uma linda história que merece ser lida com um olhar muito atento e carinhoso. Vamos lá?

Resultado de imagem para com amor anthony

Sinopse: Neste romance, a autora best-seller de Para sempre Alice e Nunca mais, Raquel conta a história de Anthony. Ao dar voz ao rapaz autista, Lisa Genova permite que ele releve os segredos por trás do funcionamento de sua mente: por que ele odeia pronomes, mas ama o número 3 e balanços, como ele experimenta a rotina, a alegria e o amor. E é a voz desse rapaz que vai guiar duas mulheres em sua jornada inesquecível para descobrir as verdades universais que unem a todos nós.

É a história de Beth e Olívia que têm em comum um garotinho autista de nome Anthony… Não tão simples assim, a vida da duas passa por uma tormenta: o amor escorrendo por entre os dedos das mãos. Filhos, maridos, trabalhos, sonhos…

Olívia era mãe de Anthony. Ele era autista. A história se passa após a sua morte. Ela também está se separando de seu marido David, indo morar em uma cidade litorânea onde quase tudo é novo para ela, a pequena e pacata Nantucket, com o objetivo de reconstruir a sua vida.

Ela não conseguia entender o porquê de Anthony ter vindo para o seu mundo como seu filho. Ela questiona a Deus a todo instante, e esta é a grande questão do livro. O que fez para merecer um filho especial, e mais, por que perdê-lo como perdeu? Ela busca incessantemente essas respostas.

Já Beth morava em Nantucket há muitos anos. Tem três filhas e descobre que seu marido tem uma amante. Jimmy é barman e se envolveu com a hostess Ângela, colocando a perder o seu casamento. Na transição entre a descoberta e o provável divórcio, Beth redescobre o prazer de escrever, o qual guardou no passado, quando teve a sua primeira filha.

Como Beth interessa-se pelo assunto aos se ver às voltas com um garotinho cujo comportamento é especial, ela resolve escrever um romance relacionado ao mundo do autismo. Nessas páginas que ela vai redigindo é que se encontra a verdadeira poesia e lição da história. E é também nelas que Olívia encontra as respostas para as suas tão angustiantes dúvidas.

São dois caminhos que se cruzam, duas mulheres que seguem superando suas perdas, uma ajudando a outra sem que saibam realmente qual é a intensidade de seus sentimentos e uma lição de vida para nós que nos entregamos à leitura dessa história.

Eu recomendo!

Com carinho,

Assinatura blog.fw

Seleção de desejados – Fevereiro

Post retroativo, bem atrasado… Porém, antes tarde do que nunca. rsrsrs

Março, mês das chuvas de final de verão, não é um mês que curto muito por diversos motivos. Talvez, por isso, senti-me meio em off nos últimos dias. Apesar da vagareza na vida em geral, meu olhos mantiveram-se afiados nas leituras. Estou até pensando em fazer uma lista aqui de tudo o que li até o momento ou quando fechar o mês. Não sei…

Bom… Não separei muitos títulos no último mês, mas, mesmo assim, fiz a seleção de 5 obras como é meu costume fazer como desejados. Então vamos lá.

1. Todos de pé para Perry Cook, de Leslie Connor – Editora Harper Collins Brasil.

Todos de Pé Para Perry Cook
Literatura estrangeira infantojuvenil

Sinopse: Perry Cook, aos 11 anos, só conheceu uma casa: o Instituto Penal Misto Blue River. Mas apesar de ter nascido e sido criado em uma penitenciária, ele não deseja viver em nenhum outro lugar; lá ele tem a mãe, a benevolente diretora e um grupo de prisioneiros divertidos e bondosos que lhe ensinam lições valiosas todos os dias. Quando, porém, o novo promotor descobre a permanência irregular de Perry em Blue River, ele resolve libertar o menino, mesmo contra a vontade dele. Em sua jornada para se reunir com a mãe, Perry vai mergulhar não só em uma investigação sobre o crime que a levou à prisão mas também em uma jornada emocionante e divertida, perfeita para fãs de Extraordinário e O menino do pijama listrado.

2. Farmácia Literária, de Leslie Connor – Editora Verus.

Farmácia Literária
Literatura estrangeira autoajuda

Sinopse: Lido no momento certo, um livro pode mudar sua vida. “Farmácia literária” é um tributo a esse poder. Mais de 400 livros para curar males diversos, de depressão e dor de cabeça a coração partido Para criar esta obra, as autoras viajaram por dois mil anos de literatura, selecionando livros que promovem felicidade, inspiração e sanidade, escritos por mentes brilhantes que nos mostram o que é ser humano e nos permitem identificação ou até mesmo catarse. Estruturado como uma obra de referência, em “Farmácia literária” os leitores podem simplesmente procurar por sua “doença”, seja ela agorafobia, tédio ou crise da meia-idade, e encontrarão um romance como antídoto. A biblioterapia não discrimina entre as dores do corpo e as da mente (ou do coração). Está convencido de que tem sido covarde? Leia O sol é para todos e receba uma injeção de coragem. Vem experimentando um súbito medo da morte? Mergulhe em Cem anos de solidão para ter uma nova perspectiva da vida como um ciclo maior. Ansioso porque vai dar um jantar na sua casa? Suíte em quatro movimentos, de Ali Smith, vai convencê-lo de que a sua noite nunca poderá dar tão errado. Brilhante e encantador, Farmácia literária pertence tanto à estante de livros quanto ao armário de remédios. Esta obra vai fazer com que até mesmo o leitor mais aficionado descubra um livro do qual nunca ouviu falar e enxergue com outros olhos aqueles mais familiares. E, mais importante, vai reafirmar o poder da literatura de distrair e fazer viajar, repercutir e curar, além de mudar a maneira como vemos o mundo e nosso lugar nele.

3. Ligações, de Rainbow Rowell – Editora Novo Século.

Ligações
Literatura estrangeira

Sinopse: Georgie McCool sabe que seu casamento está estagnado. Tem sido assim por um bom tempo. Ela ainda ama seu marido, Neal, e ele também a ama, profundamente – mas o relacionamento entre eles parece estar em segundo plano a essa altura.
Talvez sempre esteve em segundo plano.
Dois dias antes da tão planejada viagem para passar o Natal com a família do marido em Omaha, Georgie diz a ele que não poderá ir, por conta de uma proposta de trabalho irrecusável. Ela sabia que ele ficaria chateado – Neal está sempre um pouco chateado com Georgie –, mas não a ponto de fazer as malas e viajar sozinho com as crianças.
Então, quando Neal e as filhas partem para o aeroporto, ela começa a se perguntar se finalmente conseguiu. Se finalmente arruinou tudo.
Mas Georgie estava prestes a descobrir algo inacreditável: uma maneira de se comunicar com Neal no passado. Não se trata de uma viagem no tempo, não exatamente, mas ela sente como se isso fosse uma oportunidade única para consertar o seu casamento – antes mesmo de acontecer…
Será que é isso mesmo o que ela deve fazer?
Ou ambos estariam melhor se o seu casamento jamais tivesse acontecido?

Porque eu gosto de tudo que se refere a Paris… 😀

4. Melhor que chocolate, de Laura Florand – Editora Única.

Melhor Que Chocolate
Chick-lit / Romance

Sinopse: Amor. Chocolate. Paris. Que atire a primeira pedra quem não gostaria de ter essas três coisas misturadas em meio a uma aventura inesquecível. Pois é mais fácil do que parece, basta abrir este delicioso (sem exageros) romance de Laura Florand. Cade Corey é uma jovem executiva que cuida do negócio bilionário de chocolate da família, uma empresa popular nos Estados Unidos. Ela sonha em construir uma linha premium de seus produtos, e, como boa conhecedora do seu negócio, sabe que encontrará o chocolate perfeito em Paris. Na verdade, o chocolate perfeito está, mais especificamente, nas mãos igualmente perfeitas de Sylvain Marquis, o melhor chocolatier da cidade. O problema é que Sylvain se recusa a associar sua arte a uma grande empresa que só pensa em destruir sua técnica para reproduzi-la em grande escala. Isso para ele é um insulto, e não uma proposta! Contudo, embora o francês jure que está em paz para tocar a vida, aquela americana teimosa não lhe sai da cabeça. E Cade sente o mesmo: adoraria simplesmente fechar negócio com outro especialista parisiense, entretanto, não consegue esquecer os olhos cortantes de Sylvain e sua personalidade arrogante, porém tão viciante quanto seus doces. Paris está prestes a ficar pequena para o que existe entre eles. Pegue uma boa xícara de café e saboreie tudo aquilo que é melhor que chocolate. Você não vai se arrepender!

E para completar o parzinho de jarros

4. O beijo de chocolate, de Laura Florand – Editora Única.

O Beijo de Chocolate
Chick Lit / Romance

Sinopse: Quem Nunca Sentiu Algo Tão Forte Que Pensou Que Só Poderia Estar Enfeitiçado? Na pequena Île Saint-Louis, no coração da romântica Paris, esconde-se uma casa de chá especial e mágica: La Maison des Sorcières. As tias Aja e Geneviève confiaram em sua jovem sobrinha Magalie para ajudá-las na empreitada de encantar os clientes com doces e bebidas que são literalmente feitiços – em especial, o inexplicável chocolate quente de Magalie. A vida seguia tranquila até que o badalado pâtissier Philippe Lyonnais resolve abrir uma filial de sua loja a poucos metros dali. É então que começa uma batalha mais do que apimentada entre os dois doceiros: Magalie tenta punir (e instigar) Philippe com suas xícaras de chocolate quente, e ele a enlouquece com tentações inéditas e cheias de sabor. Magalie, porém, nunca esteve pronta para sentir algo tão forte e, depois de tanto tempo isolada, ao conhecer Philippe vê que não pode mais fugir de quem é e dos seus desejos. Contudo, ele significa o risco de perder tanta coisa… Tudo aquilo que vale mais que um simples – ainda que absolutamente tentador – macaron. Entre a teimosia e o desejo, o doce e o amargo, descubra as emoções que só a paixão com uma boa dose de cacau e magia pode despertar.

Por hoje é só! 😉

Uppercase planner September illustration~:

Assinatura blog.fw

Seleção de desejados – Janeiro

Bem-vindo, Fevereiro!

Hoje é dia de recomeçar para muita gente, inclusive para mim. Volta às aulas, ao trabalho, a um novo ano letivo, alunos e desafios… Muita coisa boa deve vir por aí, não é mesmo?! Principalmente grana para comprar mais livros porque a lista de desejados continua enorme. rsrsrs

 :

Eis minha seleção feita em Janeiro.

1. Nimona, de Noelle Stevenson – Editora Intrínseca.

Nimona
Literatura estrangeira – romance

Sinopse: Nimona é uma metamorfa sem limites nem papas na língua, cujo maior sonho é ser comparsa de Lorde Ballister Coração-Negro, o maior vilão que já existiu. Mas ela não sabia que seu herói possuía escrúpulos. Menos ainda uma deliberada missão. Até conhecer Nimona, Ballister fazia planos que jamais davam certo. Felizmente, a garota tem muitas sugestões para reverter esse quadro. Infelizmente, a maioria envolve explosões, sangue e mortes. Agora, Coração-Negro não só tem que enfrentar seu arqui-inimigo e ex-amigo, o célebre e heroico Sir Ambrosius Ouropelvis, mas também impedir que a fiel comparsa destrua todo o reino ao tentar ajudá-lo. Uma história subversiva e irreverente que mistura magia, ciência, ação e muito humor sobre camadas e mais camadas de reflexão – entre uma batalha e outra, é claro.

2. A menina dos olhos molhados, de Marina Carvalho – Editora Globo Alt

A Menina dos Olhos Molhados
Literatura brasileira – romance

Sinopse: Bernardo é jornalista por vocação: curioso, comprometido e muito bom com as palavras. Trabalha há anos em um importante jornal da cidade e suas matérias investigativas são sempre elogiadas. Ele só tem uma limitação… Odeia trabalhar em equipe. Há alguns anos, Bernardo sofreu com uma grande decepção amorosa, o que contribuiu para o seu jeito fechado e antipático. Por isso a incumbência de levar Rafaela – a nova estagiária do jornal – para todos os lugares é como o inferno para ele. Bernardo não perde nenhuma oportunidade de evitá-la, mas Rafa, além de ser uma jornalista extremamente talentosa, não engole desaforo. Com o passar dos dias, Bernardo percebe que não conseguirá seguir seu plano de ignorar a estagiária, muito menos todos os sentimentos que ela desperta nele. Entre reportagens intrigantes e perigosas, eles vão descobrir que têm muito mais em comum do que a imensa paixão pelo jornalismo…

3. A filha perdida, de Elena Ferrante – Editora Intrínseca

A filha perdida
Literatura estrangeira – romance

Sinopse: “As coisas mais difíceis de falar são as que nós mesmos não conseguimos entender.” Com essa afirmação ao mesmo tempo simples e desconcertante Elena Ferrante logo alerta os leitores: preparem-se, pois verdades dolorosas estão prestes a ser reveladas.
Lançado originalmente em 2006 e ainda inédito no Brasil, o terceiro romance da autora que se consagrou por sua série napolitana acompanha os sentimentos conflitantes de uma professora universitária de meia-idade, Leda, que, aliviada depois de as filhas já crescidas se mudarem para o Canadá com o pai, decide tirar férias no litoral sul da Itália. Logo nos primeiros dias na praia, ela volta toda a sua atenção para uma ruidosa família de napolitanos, em especial para Nina, a jovem mãe de uma menininha chamada Elena que sempre está acompanhada de sua boneca. Cercada pelos parentes autoritários e imersa nos cuidados com a filha, Nina parece perfeitamente à vontade no papel de mãe e faz Leda se lembrar de si mesma quando jovem e cheia de expectativas. A aproximação das duas, no entanto, desencadeia em Leda uma enxurrada de lembranças da própria vida — e de segredos que ela nunca conseguiu revelar a ninguém.
No estilo inconfundível que a tornou conhecida no mundo todo, Elena Ferrante parte de elementos simples para construir uma narrativa poderosa sobre a maternidade e as consequências que a família pode ter na vida de diferentes gerações de mulheres.

4. A livraria mágica de Paris, de Nina George – Editora Record.

A Livraria Mágica de Paris
Fotografia – romance

Sinopse: O livreiro parisiense Jean Perdu sabe exatamente que livro cada cliente deve ler para amenizar os sofrimentos da alma. Em seu barco-livraria, ele vende romances como se fossem remédios. Infelizmente, o único sofrimento que não consegue curar é o seu: a desilusão amorosa que o atormenta há 21 anos, desde que a bela Manon partiu enquanto ele dormia. Tudo o que ela deixou foi uma carta — que Perdu não teve coragem de ler. Até um determinado verão — o verão que muda tudo e que leva Monsieur Perdu a abandonar a casa na estreita rue Montagnard e a embarcar numa jornada que o levará ao coração da Provence e de volta ao mundo dos vivos. Sucesso de público e crítica, repleto de momentos deliciosos e salpicado com uma boa dose de aventura, A livraria mágica de Paris é uma carta de amor aos livros — perfeito para quem acredita no poder que as histórias têm de influenciar nossas vidas.

5. @mor / Emmi e Leo , de Daniel Glattauer – Editora Suma de Letras.

@mor
1. Literatura estrangeira – romance
Emmi & Leo
2. Literatura estrangeira – romance

Sinopse 1: Num e-mail enviado por engano, começa um relacionamento virtual que testa as convicções de Leo Leike e Emmi Rothner. Leo Leike, ainda digerindo o fracasso de seu último relacionamento, responde de forma espirituosa a duas mensagens enviadas por engano por Emmi Rothner, casada. Inicialmente, ela só queria cancelar uma assinatura de revista. Depois, inclui Leo por engano entre os destinatários de um e-mail de boas festas. Na terceira troca de e-mails, o mal-entendido dá lugar à atração mútua, reforçada pelo fato de um nunca ter visto o outro. Nada como a curiosidade instigada por frases bem encadeadas chegando a intervalos regulares numa caixa postal eletrônica para que os dois se esqueçam dos possíveis impedimentos. A cada dia, Leo e Emmi se sentem mais impelidos a marcarem um encontro. Após trocas contínuas de mensagens, está claro para ambos que o marido dela e as feridas emocionais dele não serão obstáculos para que marquem um encontro. O único obstáculo real é a insegurança de ambos quanto à transformação da fantasia em realidade. O austríaco Daniel Glattauer dá nova vida à tradição epistolar em @mor, primeiro de dois romances que exploram um relacionamento sustentado basicamente em trocas de e-mails. Romance de estreia de Glattauer e campeão de vendas na Alemanha e na Espanha, o livro explora, sob roupagem moderna, sentimentos familiares a amantes de todas as gerações.

 

Sinopse 2: Em @mor, o escritor e jornalista austríaco Daniel Glattauer se utiliza dos princípios dos romances epistolares – trocas de cartas – com uma roupagem contemporânea: o contato virtual. Ao contar a fortuita atração mútua entre os jovens Leo Leike e Emmi Rothner por meio de conversas por e-mails e os sentimentos que desenvolvem um pelo outro, o autor utiliza pontos de vista alternados para contar uma inusitada história de amor.
Emmi & Leo: a sétima onda é a sequência dessa história tão intrigante quanto inusitada e que surgiu por erro de endereçamento no envio de um email. Na atual etapa, Leo Leike retorna de Boston após uma longa ausência, e é recebido por uma caixa de emails lotada de notícias de Emmi Rothner. O sentimento dos dois não mudou, e eles reiniciam a troca de mensagens. Só que agora Leo está namorando a americana Pamela, e Emmi continua casada. A orgulhosa Emmi e o tímido Leo nunca estiveram tão próximos, e ao mesmo tempo tão distantes.
Daniel Glattauer reconquista os leitores e a crítica internacional com seu peculiar olhar sobre as relações amorosas dos tempos atuais. A prova do fenômeno editorial da dupla de romances: @mor e Emmi & Leo foram traduzidos para quarenta idiomas e tiveram 64 montagens teatrais na Alemanha e Áustria.

Então, o negócio é trabalhar para a coisa render mais! 😀

Fevereiro 10, nota 10 para todos!

Assinatura blog.fw

Opinião: Fangirl, de Rainbow Rowell

fangirlwip

balao-1-fwbalao-2-fw

dsc03586

balao-3-fwbalao-4-fw

História sobre a garota Cath que está saindo da adolescência, iniciando a faculdade, um mundo e uma vida totalmente novos. Ela é tímida, insegura, mas se revela na fanfiction que escreve sobre Simon e Baz, que é um sucesso entre os adeptos do estilo. 

Tem uma irmã gêmea de nome Wren (achei muito estranho esse nome rsrsrs), inseparáveis até irem para a faculdade e ficarem em alojamentos distantes, possibilitando novas vivências para cada uma.

O relacionamento com o pai é tranquilo, apesar de ele dar um pouco de trabalho às meninas devido à sua obsessão com o trabalho. Porém as questões com a mãe, que as abandonou ainda crianças, ficam no ar e, no meu entendimento, não são resolvidas, ainda que pareça ter sido dado um pontapé na história para que isso acontecesse. Achei estranho essa parte…

O relacionamento entre Cath e Levi, ex-namorado da colega de quarto, Morgan, é o que há de mais bacana e leve na narrativa. O carinho dele por ela é cativante, o que faz com que a gente torça para que os dois se acertem, pois há também o encontro dela com Nick, seu colega da turma de escrita criativa.

No geral, Fangirl, para mim, foi uma história morninha e um pouco confusa (ou será “chata” o termo certo?) por conta dos trechos de histórias da série sobre Simon Snow (um Herry Potter disfarçado). E eu só dei quatro corações para o livro, porque o Levi me conquistou. rsrsrs

A pergunta que me moveu na leitura foi: será que Cath conseguirá superar suas inseguranças e conquistar seus sonhos?

Assinatura blog.fw