Opinião: A garota no trem, de Paula Hawkins

Olá, gente!

Hoje passei aqui para falar do livro A garota no trem, lido em agosto deste ano, mas só agora ganhando o registro no blog.

a-garota-1

Sinopse: “Um dos maiores fenômenos editoriais dos últimos tempos, o thriller psicológico The Girl on the train, de Paula Hawkins, surpreendeu até mesmo seus editores e a própria autora, nascida e criada no Zimbábue, que vive em Londres desde os 17 anos: em menos de um mês, o livro – que vem sendo comparado pela crítica a uma mistura de Garota exemplar e Janela indiscreta – ultrapassou a impressionante marca de 500 mil exemplares vendidos e alcançou o primeiro lugar nas listas de mais vendidos em todos os países em que foi publicado (Reino Unido, Irlanda, EUA e Canadá) desde seu lançamento em janeiro. A trama, que gira em torno do desaparecimento de uma jovem mulher, com três narradoras femininas duvidosas, conquistou fãs como o mestre do mistério Stephen King, que publicou em sua conta do Twitter que o “excelente suspense” o manteve acordado a noite inteira: ‘a narradora alcoólatra é mortalmente perfeita’.”

Ao ler A garota no trem, saí um pouco da minha zona de conforto, já que normalmente gosto e leio romances. Na minha opinião, um suspense que mexeu bastante comigo porque tentei o tempo todo criar as soluções para o acontecimentos que rolam na vida de Rachel, uma mulher que se entrega ao alcoolismo após divorciar-se traumaticamente. Ela pega o trem todos os dias pela manhã, como se estivesse indo trabalhar e as cenas que observa do lado de fora, durante o trajeto, levam-na a fantasiar muitas coisas. Um dia, um crime ocorre e Rachel diz saber a respeito para ajudar nas investigações. Sempre alcoolizada, nunca sabemos de fato quando são delírios ou quando é verdade, e assim vamos construindo teorias em nossa cacholinha para elucidar a história.

Senti-me uma espécie de detetive e nadei de braçada em minhas conjecturas. Pena que o desfecho deixou a desejar. Para variar, não é mesmo?! O finalzinho foi muito “mais ou menos”. Depois de uma narrativa eletrizante, fechar a trajetória de Rachel de forma tão morna deixou-me decepcionada. Ainda assim valeu super a pena vivenciar esta leitura, e só não comento mais detalhes porque é o tipo de história que revelar demais pode desconstruir o mistério que a envolve.

Concluindo, para quem gosta de thrillers psicológicos, eu recomendo A garota no trem.

stock-illustration-4115670-ok

Ah! O livro ganhou uma adaptação para o cinema sem previsão ainda de estreia no Brasil.

Um superabraço!

Assinatura blog.fw

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s