Opinião: O lado feio do amor, de Colleen Hoover

Ah, meus leitores lindinhos…

Como ler é bom, né?! Gosto tanto que, quando eu pego um livro cuja história me prende, eu devoro a obra. Aí, ao ler O lado feio do amor eu o engoli. Gastei o quê, uns dois dias, e não queria que acabasse a história, viu?! rsrsrs

O_LADO_FEIO_DO_AMOR__1436538322515134SK1436538322B

Quando eu escolhi O lado feio do amor como um dos meus desejados da semana – 07 de março -, lembro que a capa do livro foi uma das coisas que mais me chamou a atenção junto ao título. Nem imaginei que relação haveria com a história, assim como durante boa parte da leitura também não. Só sabia que um homem se recusava terminantemente a viver o amor em sua vida de novo. Assim fui lendo O lado feio do amor sem dar pausa porque eu fiquei ansiosa para saber por qual motivo alguém se recusaria amar e ser amado estando esse sentimento bem à sua porta, batendo incessantemente.

O nome desse alguém é Miles Archer, um jovem e competente piloto de avião que guarda em segredo uma experiência do passado com a qual não consegue lidar, quando o assunto é se envolver amorosamente com uma mulher. Por seis anos ele evitou a todo custo se apaixonar e foi bem sucedido em seu objetivo até que ele conhece Tate Collins, irmã de seu amigo e também piloto, Corbin, e vê seus planos ameaçados, já que ela, depois de tanto tempo, é a primeira mulher que torna a mexer com seus instintos.

A história começa com Tate chegando para morar com seu irmão em São Francisco, pois vai fazer um curso de enfermagem na cidade, e encontra Miles bêbado e escornado na porta do apartamento 1816. Daí até que se envolvam sexualmente é um pulinho, e por um bom tempo o que Tate e Miles compartilham conosco são boas doses de sexo sem compromisso que chegam até a causar um certo enfado em uma determinada parte da narrativa. No meio disso, há os capítulos em que Miles vai contando sobre sua vida com Rachel, quando tinha lá seus dezoito anos e ela também. Entre as transas de Miles com Tate e o amor por Rachel, a história vai rolando, vai rolando, vai rolando… Chega, então, a parte tão esperada por mim: a revelação de qual é o lado feio do amor para Miles, moral de toda a trama. É… Realmente o amor pode ter um lado bem feio…

As minhas considerações finais são sobre a construção da narrativa. A autora usou o recurso de capítulos em prosa e capítulos em versos que, quem ler o livro, acredito eu, terá a sensibilidade de captar a intenção dela. Eu amei! Além disso, quero comentar que as cenas repetitivas de sexo entre Tate e Miles, na minha opinião, tiveram também um propósito. Após revelado o passado de Miles, elas não são mais narradas, dá-se espaço para outros focos (ou será que é coisa da minha cabeça?). E para fechar, a linda capa do livro faz uma triste e poética referência à história, posso dizer até que é um resumo da vida de Miles até conhecer Tate, afinal o amor pode ter um lado feio, mas tem o lado bonito e libertador também.

O lado feio do amor então estáAprovado.fw

Um grande abraço!

Assinatura blog.fw

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: