Publicado em Data comemorativa, Homenagem, Texto

Uma bibliotecária muito maluquinha…

“Sabe, a professora hoje pediu que a gente fizesse uma redação sobre a importância da leitura. Eu detesto redigir textos, mas tive uma ideia para escrever a minha que até me deixou animado. Eu pensei em histórias, em livros, em biblioteca e cheguei, então, na bibliotecária que trabalhava na minha escola. Nossa! Ela era muito divertida e quando o sinal batia para a merenda, a gente corria para lá, porque era o lugar mais aconchegante pra ficar durante o recreio. Ia aquela renca e todos formavam uma fila pra abraçá-la e beijá-la. Ela abria então aquele sorrisão pra gente e retribuía o nosso carinho. Lembro direitinho… Aí a gente assentava em volta dela. Uns ficavam em pé, mas não se queixavam, e o papo rolava tranquilo. A bibliotecária, então, fazia a grande pergunta: ‘Vocês querem ouvir uma história?’ Todo mundo se agitava e falava ‘Conta! Conta! Conta!’ Então ela pedia calma e começava a história, ‘Era uma vez…’

As histórias eram curtinhas, mas deliciosas. Às vezes, contava as dos livros, outras, inventava na hora mesmo, mas, o mais engraçado, eram as caras e bocas que ela fazia como encenação. Posso dizer que eram ótimas e arrancavam gargalhadas de todos que a ouviam, até mesmo dos meninos mais sérios. Só era chato, quando o sinal batia e ela estava no meio de uma narrativa super empolgante. A gente voltava pra sala, tudo com cara de bundão por não poder saber o final da história. Ainda bem que depois ela contava qual era o desfecho e matava a curiosidade dos mais interessados como eu.

Qual a importância disso tudo? Cada turma tinha o seu horário marcado na semana pra ir até a biblioteca pegar ou trocar livros. Todo mundo ia quente nas histórias que ela contava. Tudo isso porque a gente queria ler os livros tocando neles, olhando as imagens de pertinho, relendo as partes bacanas e que nos emocionavam mais. E não ficava um sem pegar uma historinha para levar para casa. Claro que sempre tem aqueles que pegam por pegar, não cuidam dos livros e fazem pouco caso da leitura, mas a maioria sabia que ler tem sua importância e levava a coisa a sério.

Como na história do Ziraldo, a bibliotecária muito maluquinha, um dia, não foi mais trabalhar. Não que ela tenha fugido com o namorado (rsrs) ou sido demitida porque não gostavam do trabalho dela. Pelo contrário, todos a queriam lá. Só que ela desejou contar suas histórias em outros lugares também e por isso se foi… Ah, que saudades dela!

Bom, é melhor eu começar a escrever minha redação. Por onde começar? Hum… Já sei!

Em minha escola trabalhava uma bibliotecária que nos mostrou como a leitura é importante em nossas vidas e, o que é melhor, nos fez descobrir, também, o prazer que existe nela…

Por Andréa Campos

Minha homenagem a esses profissionais que cuidam com muito amor desse mundo de livros, conhecimento, histórias e fantasia: os BIBLIOTECÁRIOS!

Parabéns a todos por seu dia!

Um forte abraço!

Assinatura blog.fw

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s